Conheça os poucos atletas abertamente gays que competirão nas Olimpíadas de Inverno 2018

Listamos aqui três atletas que competirão e levantam a bandeira arco-íris. A partir desta sexta-feira, 9 de fevereiro, poderemos acompanhar a performance deles nas Olimpíadas de Inverno

Segundo o site GSN, apenas 0,3% dos atletas (dos 2952 inscritos) que vão participar nas Olimpíadas de Inverno deste ano se assumem gays ou bissexuais. Número bem inferior ao aos 53 atletas abertamente LGBTs que competiram nas Olimpíadas do Rio (desses, 19 ganharam medalha).

Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, conhecidos oficialmente como os Jogos da XXIII Olimpíada de Inverno, é um evento multiesportivo realizado no entre 09 e 25 de fevereiro em PyeongChang, condado localizado na província de Gangwon, Coreia do Sul.

Abaixo listamos três atletas que competirão a partir desta sexta:

Gus Kenworthy – Estados Unidos (Freestyle Esqui)

É a segunda Olimpíada de Gus Kenworthy, mas a primeira em que ele participa sendo abertamente gay. Após ganhar uma medalha de prata em Sochi, disse que se sentia péssimo por ter escondido isso nos jogos na Olimpíada anteior (na Rússia).

Adam Rippon – Estados Unidos (Patinação)

Very stable genius 2018

A post shared by Adam Rippon (@adaripp) on

Foi o campeão nacional dos EUA em 2016 e fará sua estreia olímpica na Coreia. Ao ser questionado sobre o que é ser um homem gay nos esportes, repondeu: “é exatamente como ser um atleta hétero, mas com sobrancelhas bem feitas”.

Eric Radford – Canadá (Patinação)

No final de 2014, quando ele se assumiu, tornou-se o primeiro patinador artístico de nível internacional assumido enquanto ainda competia. Seu noivo é Luis Fenero, também atleta do gelo.

Com informações do GSN

Anúncios