Há 30 anos, versão gay da São Silvestre agitou rua da Consolação

Em 1º de janeiro de 1988, uma versão gay da corrida de São Silvestre um ar alegre e colorido na rua da Consolação, no bairro nobre de Higienópolis, na região central de São Paulo.

O bancário Fábio foi vencedor da "São Sivestre Gay" (foto: Folha)
O bancário Fábio foi vencedor da “São Sivestre Gay” (foto: Folha)

É que naquele primeiro dia do ano foi disputada a terceira edição da “São Silvestre dos Gays”, competição organizada pelo produtor Darby Daniel, um dos principais articuladores de eventos gay das noitadas paulistanas.

Darby, que promovia festas LGBT desde o início dos anos 1970, quando surgiram as primeiras boates do gênero em São Paulo, era também conhecido por ser o principal responsável pela conexão do apresentador Silvio Santos com o mundo gay da capital.

Os 12 competidores, todos travestidos de mulher, fizeram um percurso de pouco menos de 1 km, entre o trecho da alameda Santos e da rua Antônio Carlos, que fazem cruzamento com a rua da Consolação.

“Os mais perfeccionistas”, conforme relatou o “Notícias Populares” na ocasião, disputaram a prova de saltos altos. Os nomes completos dos participantes não foram divulgados pelo jornal.

Público assistindo a São Silvestre versão gay
Público assistindo a São Silvestre versão gay

CLASSIFICAÇÃO

O primeiro lugar foi conquistado pelo bancário Fábio, morador do bairro da Penha (zona leste de São Paulo).

A segunda posição foi “abocanhada” pelo decorador Gilberto, residente no Parque Novo Mundo, na região norte da capital. Já o mordomo Joselito, do bairro de Cerqueira César, próximo ao central, foi o terceiro colocado no ranking do gay mais veloz da competição.

A festa foi apadrinhada pelo cantor e dançarino Márcio Mendes, do Trio Los Angeles, grupo musical de grande sucesso nos anos 1980. E a escolhida como madrinha do evento foi a atriz Daliléia Ayala, que já havia atuado nos filmes “O Rei da Boca” (1982) e “O Menino Jornaleiro” (1982).

Aquele momento era nosso!
Aquele momento era nosso!

Nos anos seguintes, a primeira boate gay do Brasil, a Nostromondo, localizada na rua da Consolação e que fechou as portas em 2011, passou a promover corridas do gênero na capital.

Com infos da Folha de SP e Notícias Populares

Anúncios