Masp exibe longa ‘Favela Gay’ no programa Histórias da Sexualidade

Filme de Rodrigo Felha retrata a vida da comunidade LGBTQI+ em favelas cariocas. Longa-metragem é uma das 34 obras que estão sendo exibidas gratuitamente no museu aos sábados e terças-feiras

Desde outubro até dia 13 de fevereiro de 2018, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) apresenta, aos sábados e terças-feiras, filmes e vídeos que dialogam com a exposição Histórias da Sexualidade. Ao todo, 34 obras serão exibidas em 14 sessões que discutem temas como a performatividade de gênero, jogos sexuais, voyeurismo, mercado do sexo, religiosidade e ativismo. O programa Histórias da Sexualidade: Filmes e Vídeos é resultado de uma parceria do museu com a Associação Cultural Videobrasil e a Cinemateca Brasileira.

Cena de 'Favela Gay'
‘Nada mais diferente de um homossexual do que um outro homossexual

Neste sábado (16) e na próxima terça (19), o programa traz o documentário Favela Gay, às 16h. Dirigido por Rodrigo Felha e produzido por Cacá Diegues, o longa-metragem traz uma série de entrevistas com pessoas da comunidade LGBTQI+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, queer, intersex e outros) de várias favelas do Rio de Janeiro. Elas dividem com o espectador suas experiências, dificuldades no trabalho e junto com a família, os ataques homofóbicos dos quais frequentemente são vítimas e as violências físicas e simbólicas que sofrem no dia a dia.

Mas também há o outro lado da moeda, relatos de como essas pessoas se reiventam por meio da dança, da música, do ativismo e da política para assim se posicionarem frente à comunidade onde vivem. Rafael entrevistou personagens dos principais morros Rio de Janeiro: Andaraí, Cidade de Deus, Complexo do Alemão e da Maré, Rio das Pedras, Rocinha e Vidigal. Entre as histórias que o filme traz estão a de um bailarino que usa sua arte para ser aceito onde mora e a de Rafaella, mulher trans que frequenta a faculdade graças ao apoio da família.

A única entrevista com alguém de fora das comunidades é com o deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ), que afirma que não há “nada mais diferente de um homossexual do que um outro homossexual”. No entanto, apesar de não haver uma enorme diversidade entre as trajetórias apresentadas, a obra acaba fazendo um retrato franco e poético sobre como é a vida dos homossexuais nas favelas.

Não é uma coincidência que o filme seja produzido pelo cineasta Cacá Diegues. Rodrigo foi um dos diretores do longa-metragem 5X Favela – Agora por Nós Mesmos, uma espécie de continuação do 5X Favela feito em 1961 por Cacá Diegues, Leon Hirszman, Joaquim Pedro de Andrade, Marcos Farias e Miguel Borges, cineastas integrantes do Centro Popular de Cultura (CPC), da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Favela Gay, no programa Histórias da Sexualidade
Quando: 
terça (19) , às 16h
Onde: Masp
Avenida Paulista, 1.578, São Paulo
Quanto: grátis, com retirada de ingresso às 15h
Classificação: 18 anos

Com informações de Rede Brasil Atual

Anúncios