Johnson & Johnson inicia primeiro estudo da vacina ‘global’ contra o HIV

Fundação Bill & Melinda Gates e Inst. Nacional de Saúde dos EUA unem forças à companhia para desenvolver vacina que pode impedir ampla variedade de cepas

Neste Dia Mundial da Luta contra a AIDS (1º de dezembro), a Janssen, divisão farmacêutica da Johnson & Johnson, anuncia que iniciou, junto com parceiros globais, o primeiro estudo de eficácia para uma vacina preventiva em mosaico de HIV-1. A Fundação Bill & Melinda Gates e o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH) uniram-se à companhia para desenvolver o que eles chamam de “vacina global”, que poderia impedir uma ampla gama de cepas virais responsáveis pela pandemia do HIV.

Johnson & Johnson inicia primeiro estudo da vacina 'global' contra o HIV
Johnson & Johnson inicia primeiro estudo da vacina ‘global’ contra o HIV

O novo estudo em larga escala (HVTN 705/HPX2008), também chamado de “IMBOKODO”, avaliará se o regime de vacinação proposto pela Janssen é seguro e capaz de reduzir a incidência de infecção por HIV. A vacina será testada em 2.600 mulheres no sul da África. Embora tenha havido grandes avanços no tratamento e prevenção do HIV nos últimos anos, quase dois milhões de pessoas são infectadas pelo vírus a cada ano. Segundo o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), mulheres e meninas representam quase 60% das pessoas que vivem com HIV no leste e sul da África.

O início do IMBOKODO significa que, pela primeira vez em mais de uma década, dois estudos de eficácia de vacinas estão sendo realizados ao mesmo tempo. Outra pesquisa (HVTN 702) está em andamento na África do Sul. Historicamente, a busca por uma vacina contra o HIV tem sido um desafio devido, em parte, às propriedades únicas do vírus – incluindo sua capacidade de rápida mutação e sua diversidade genética global com múltiplos subtipos prevalentes em diferentes partes do mundo.

“Ter uma vacina preventiva seria uma ferramenta vital para acabar com a pandemia do HIV. Nossa vacina é baseada em antígenos de mosaico que foram projetados utilizando genes de uma ampla gama de diferentes subtipos de HIV. O objetivo final é entregar uma ‘vacina global’ que possa ser utilizada em qualquer região geográfica para ajudar a proteger populações vulneráveis em risco de infecção”, ressalta Johan Van Hoof, líder global de área terapêutica da Janssen Vacinas.

O HIV/AIDS continua a ser um dos desafios mundiais de saúde mais urgentes do mundo. Em 2016, cerca de 37 milhões de pessoas viviam com HIV-1 em todo. No Brasil, mais de 830 mil pessoas convivem com a doença e estima-se que o número de mortes por HIV foi de 14 mil no mesmo período[1]. Além disso, o país também corresponde há 49% das novas infecções em todo o mundo. Na Janssen, desenvolvemos medicamentos para a doença há mais de 10 anos.

Sobre IMBOKODO (HVTN 705/HPX2008)

O estudo avaliará a segurança e a eficácia da vacina baseada em mosaico, em comparação com o placebo, na prevenção da infecção pelo HIV-1. O teste pretende incluir 2.600 mulheres sexualmente ativas de 18 a 35 anos em cinco países do sul da África. Os primeiros participantes começaram a receber vacinas em locais de pesquisa clínica na África do Sul. O estudo também deve ser realizado em outros locais, após aprovação regulatória, como em Malawi, Moçambique, Zâmbia e Zimbábue. “IMBOKODO” é a palavra Zulu para “rock”, que é parte de um conhecido proverbio na África do Sul que se refere à força das mulheres e sua importância na comunidade.

Dois ensaios clínicos de fase 1 e 2a, em estágio inicial (APPROACH e TRAVERSE), avaliaram vacinas baseadas em mosaico. O estudo TRAVERSE ainda em curso compara dois regimes contendo vacinas vetorizadas de adenovírus 26 (Ad26) que fornecem três antígenos de mosaico (trivalentes) ou quatro (quadrivalentes). Os dados preliminares sugerem que ambos os tipos de vacinas baseadas em mosaicos parecem ser bem tolerados e capazes de provocar respostas imunes anti-HIV. Com base nestes estudos, um regime de vacina de chumbo, que compreende o candidato de mosaico Ad26 de 4 componentes e uma proteína solúvel Clade C gp140, será avaliado em HVTN 705 para ver se ele realmente reduz infecções por HIV.

Visite www.jnj.com/HIV para obter mais informações.

Sobre a Janssen

Na Janssen, trabalhamos para criar um mundo sem doenças. Transformar vidas buscando maneiras novas e melhores de prevenir, interceptar, tratar e curar doenças nos inspira. Nós reunimos as melhores mentes e buscamos as mais promissoras inovações científicas. Somos a Janssen. Colaboramos com o mundo para a saúde de todos. Para saber mais acesse: www.janssen.com/brasil. Siga a Janssen no Facebook e LinkedIn, e a J&J Carreiras no Facebook.

Anúncios