Após 64, Playboy apresenta a sua primeira ‘Coelhinha’ transgênero

A publicação já apresentou transgêneros durante sua trajetória de 64 anos, mas nunca como uma Coelhinha oficial (Playmate)

A Playboy vai fazer história nomear a sua primeira “Playmate” trans. A publicação já apresentou transgêneros durante sua trajetória de 64 anos, mas nunca como uma Coelhinha oficial (Playmate). Aqui no Brasil, a Roberta Close já posou nua para a revista, mas não foi uma Playboy Bunny.

playboy
Ines Rau, a primeira coelhinha trans

A modelo que vai receber o título é a francesa Ines Rau, de 26 anos. O ensaio será publicado na edição de novembro deste ano.

Autógrafo

“Eu vivi muito tempo sem dizer que eu era trans”, Rau contou em entrevista para Playboy. Ela também falou sobre aprender auto-aceitação: “Eu tinha medo de nunca encontrar um namorado e ser visto como estranha. É libertador falar a verdade sobre quem é realmente você, seja seu gênero, sexualidade, seja o que for. As pessoas que te rejeitam não valem a pena. Não se trata de ser amada por outros; trata-se de amar a si mesmo. Ser mulher não significa ser extremamente feminina o tempo todo, é apenas ser uma mulher”, finalizou.

Playboy
Foto: reprodução do Twitter oficial da Playboy
playboy
Foto: site Playboy.com

 

Origem da Playboy

Em 1953, Hugh Hefner, então diretor de circulação da revista Children’s Activities, decidiu criar uma revista para o público masculino que refletisse o pensamento dos jovens adultos da época, especialmente porque Hefner pensava que publicações para homens tratavam de diversos tópicos, menos as mulheres. Parte de sua inspiração foi ver a popularidade de publicações com pin-ups no Exército quando Hefner serviu na década anterior. Hefner acreditava que mesmo que o público fosse atraído pelas beldades da publicação, manter-se-ia fiel especialmente pelo conteúdo jornalístico.

Anúncios