Estudantes criam app para conectar pacientes LGBTQ com médicos inclusivos

Três estudantes de medicina da Universidade da Pensilvânia estão se preparando para lançar um aplicativo de cuidados de saúde LGBTQ, o SpectrumScores, até o final de agosto.

UPenn_Students
Os fundadores da SpectrumScores (LR): Naveen Jain, Phil Williams e Jun Jeon. Cortesia de Phil Williams

O aplicativo conectará pacientes lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e minorias sexuais com médicos que são reconhecidamente inclusivos com a causa LGBTQ por organizações de advocacia, centros médicos acadêmicos e, eventualmente, os próprios usuários do aplicativo.

Os fundadores do app SpectrumScores, Naveen Jain, Jun Jeon e Phil Williams, tiveram a  ideia durante uma competição na universidade, a PennHealthX, onde o objetivo era capacitar os estudantes para serem empreendedores focados em cuidados de saúde.

Antes do SpectrumScores, o trio considerou ideias que envolviam cuidados com a pressão arterial e acne. “Todos nós tivemos uma percepção mútua de que [essas idéias anteriores] não refletiam realmente o que realmente nos apaixonava”, disse Williams à NBC News.

Embora os três estudantes de medicina tenham sido capazes de assumir a liderança no aspecto de cuidados de saúde do aplicativo, como curar seu banco de dados de médicos amigáveis ​​com LGBTQ, eles precisaram de ajuda na tecnologia e no quesito comercial do desenvolvimento.

“Felizmente, para nós, meu irmão tem experiência em codificação muito extensa – e ele concordou em nos ajudar de boa fé”, disse Jeon. “Ele é responsável pelo desenvolvimento do back-end e nós terceirizamos um designer gráfico – amigo do meu irmão – para projetar todos os gráficos relevantes que são exibidos no front-end.”

Jain, Jeon e Williams esperam que seu aplicativo atenda uma necessidade importante para a comunidade. As pessoas LGBTQ são mais propensas a sofrer discriminação ao tentar acessar os cuidados de saúde, de acordo com um estudo dos Institutos Nacionais de Saúde.

No aplicativo, os usuários terão informações relacionadas à identidade de gênero exibidas ao lado do nome de usuário escolhido ao redigir críticas de médicos. A informação que será exibida ajudará outros usuários a determinar a escolha do profissional. Mas, embora a informação inclua itens como sua localização, orientação sexual e identidade de gênero, o aplicativo não pedirá aos usuários a identidade racial ou étnica.

A equipe SpectrumScores planeja se concentrar em cidades selecionadas para o lançamento inicial do aplicativo – como Filadélfia, Nova York e Chicago -, mas eles eventualmente planejam expandir o alcance do aplicativo em todo os EUA.


Com informações da NBC News

Anúncios