Após ser caçoado em grupos de Whatsapp, estudante gay esclarece durante a aula quem são despropositados

'Ofensa é ser comparado a vocês', rebate em aula da faculdade. Ele foi ridicularizado por aparecer em uma foto conversando com um colega gay e em outra por estar vestido de mulher

Você é um estudante universitário gay. Colegas caçoam de você compartilhando fotos suas no WhatsApp. Você faz uma denúncia na coordenação da faculdade, mas isso não adianta. Como reagir?

Em um gesto corajoso, o estudante de direito Lucas Chaves, 21, de Barbacena (MG), não se deixou intimidar e confrontou seus agressores cara a cara.

No vídeo acima, compartilhado no Facebook, Lucas diz a seus colegas, em plena sala de aula, no Centro Educacional Aprendiz, que não se sente ofendido ao ser chamado de “viado”.

“Ofensa pra mim é ser comparado com algum de vocês”, esbraveja o estudante.

Ele foi ridicularizado por aparecer em uma foto conversando com um colega gay e em outra por estar vestido de mulher – à esquerda, na foto abaixo – para ir à uma festa:

Meus melhores amigos, meus irmãos, meu tudo! <3

A post shared by Lucas Chaves (@lucasgorgeousxx) on

Sobre isso, Lucas disse aos colegas: “Se eu coloquei no meu Facebook, é porque não tenho vergonha da foto. Estou vestido de homem, estou vestido de mulher, vestido do que eu quiser”.

“O que eu faço desta porta para lá não te interessa, não interessa a nenhum de vocês. Inclusive, o que eu faço aqui dentro não interessa também. Sou quem paga a minha faculdade.”

Lucas comentou a intensa repercussão do vídeo no Facebook:

 

É claro que nenhuma vítima de homofobia é obrigada a encarar seus agressores frente a frente, como Lucas fez. Entretanto, é importante identificar a oposição dele como uma das atitudes legítimas contra o preconceito: não se deixar intimidar.

“Fico feliz por servir de força, exemplo e até como uma voz para todas as pessoas que já sofreram qualquer tipo de opressão e não vão mais aguentar caladas”, disse, no Facebook.

Com informações do huffpostbrasil

Anúncios