NostroMundo: uma das primeiras casas gays de São Paulo

Este clube gay pioneiro abriu que abriu na década de 70 em São Paulo resistiu por quase quatro décadas. Go-go boys excitam o público da NostroMundo

A boate NostroMondo, abriu em 1971 na “ilha” de prédios ali no encontro da rua da Consolação com a avenida Paulista

Drags e travestis no palco da NostroMundo

Por Camilo Rocha para Revista Trip – Outubro de 2011

O vídeo começa com dez dançarinos de smoking fazendo coreografias de musical da Broadway. Logo depois, do fundo surge a estrela do número. Ela vem pelas escadas, exuberante, sorriso aberto no rosto. Usa vestido de paetê prateado, capa rosa, peruca loira platinada e maquiagem generosa. Faz um lipsync “Emoções”, do Rei. Em seguida, desce do palco e sai distribuindo rosas vermelhas para o público sentado nas mesas. Na frente da tela, Eduardo Albarella, 72 anos, segura o controle do DVD. Olha para si mesmo no vídeo, num misto de orgulho e saudosismo. “Isso não existe mais, não existe…”, comenta, saboreando a aura exuberante e romântica do show. O título do DVD resume o espírito de glória antiga do espetáculo: Miss Biá 50 anos de glamour.

Se o nome de Albarella provavelmente não diz muita coisa, sua outra identidade, a de Miss Biá, diz uma enciclopédia. Pioneiro dos shows transformistas, ícone da história gay de São Paulo, Biá surgiu numa época em que se falava mais em “entendidos” do que em diversidade sexual. Um tempo no qual ser gay era uma experiência difícil, vivida quase sempre às escondidas do mundo “normal”. Subir num palco vestido de mulher então demandava não apenas talento, mas muita coragem. A história de Miss Biá está intimamente ligada à boate NostroMondo, onde trabalhou 12 anos. Localizada na “ilha” de prédios no encontro da rua da Consolação com a avenida Paulista, a casa funciona ininterruptamente desde 1971, sendo assim a mais antiga boate gay em atividade na América Latina.

A “Nostro”, como a chamam os íntimos, foi uma das primeiras casas gays assumidas da cidade. Até então, pontos de encontro ficavam camuflados em boates, restaurantes e bares simpatizantes. Ironicamente, foi durante os anos de chumbo da ditadura militar que surgiram as três casas que praticamente fundaram a noite gay de São Paulo: Medieval, Val Improviso e Nostromondo. Só a Nostro sobreviveu.

Apelidada de “castelinho da Consolação”, a casa foi precursora dos shows de homens vestidos de mulher, coisa que podia dar cadeia por “atentado violento ao pudor”. Os espetáculos eram protagonizados por travestis ou pelo que se chamava então de transformistas (designação que o termo “drag queen” tornou obsoleta). Interpretações de Liza Minelli, Judy Garland, Shirley Bassey e Diana Ross eram hits do começo.

Foto: arquivo pessoal
Arquivo pessoal
Miss Biá com Raul Cortez no palco
Miss Biá e Rogéria
Adriane Galisteu no palco
Bruna Lombardi e Kaká di Polly
Edson Celulari
Ney Matogrosso
Victor Piercing
Gogo boy
Arquivo pessoal
Anúncios